Caminhada: Doutor Pedrinho/SC


12 a 14 de abril de 2013
Era véspera e não era. Assim. Era véspera da caminhada, mas era a data marcada para início das atividades.
Florianópolis fervilhava num trânsito caótico de final de expediente de uma sexta-feira molhada. Contrariando o sentido de todos que saíam do trabalho, nós, peregrinos, dirigia-mo-nos ao centro da cidade para tomar o ônibus que nos tiraria dali. A experiência de vezes anteriores fez com que todos se antecipassem de forma a não haver atrasos. E não houve.
Às 18h30min., ou até um pouquinho antes, o ônibus partiu para o engarrafamento da travessia da ponte - agora sim, no mesmo sentido da massa - e da via expressa (expressa?) e, ainda, da BR-101. Só lá para Biguaçu destrancou tudo.



Já tarde, para preocupação dos organizadores, chegamos no Parque Vila Germânica, em Blumenau, onde nos encontraríamos com amigos peregrinos daquela cidade para o jantar.
Após o jantar seguimos para a pousada em Doutor Pedrinho. Tendo em vista que o ônibus era muito grande, caminhamos os últimos metros, na subida do morro da pousada carregando nossas bagagens. Um chazinho e cama. No quarto sobre a cama nos aguardava um mimo das Feiticeiras da ACACSC (organizadoras deste evento): um bolinho com um adesivo contendo mensagem de carinho.
No sábado acordamos para o café da manhã ainda com ameaça de chuva e depois fomos de ônibus até o local de início da caminhada que terminaria na própria pousada, permitindo que cada um fizesse, sem preocupação o seu ritmo.
Quando descemos do ônibus o céu já mostrava que não choveria e por estradas rurais, margeando propriedades muito bem cuidadas, rios e estradas sombreadas percorremos os 22 quilômetros até a pousada num dos trechos do Caminho do Vale Europeu.
 

  

 





Muita conversa rolou. Os que tinham vindo de viagens contavam suas experiências e os que estão com viagem programada falavam de suas expectativas e buscavam orientação.
Aos poucos fomos chegando na pousada onde fomos recebidos com uma mesa de café, chá, biscoitos e bolos.
Jantamos comida colonial e depois iniciamos uma cantoria no restaurante da pousada. 
Derrubados pelo cansaço quase todos se recolheram aos seus quartos e restou um pequeno grupo de cantantes que percorreu os corredores fazendo uma serenata antes de ir dormir.
O domingo percebeu a alegria do povo e já acordou claro, azul, alegre.
Desta vez, o ônibus nos levou a outro ponto do qual sairíamos caminhando com destino ao restaurante onde almoçaríamos, em Rodeio/SC.
A paisagem novamente impecável de estradas rurais e natureza viva, exuberante.
Foi um dia muito agradável e a companhia dos amigos ajuda a encurtar as distâncias e afastar o cansaço.







Fizemos uma pausa na estátua de Cristo que é rodeada por anjos para o lanche.
Percorremos 20 quilômetros no domingo.
Almoçamos uma deliciosa comida italiana e embarcamos no ônibus para o retorno.

Nenhum comentário: